Salmo Amigo: Frei Betto, a nova voz do Coro

Carlos Frederico Gurgel Calvet da Silveira Presidente do Centro Dom Vital O Globo de hoje já não nos surpreende, passadas duas semanas de matérias que versam sobre tudo e qualquer coisa, incluindo doutrinas teológicas imprecisas e incorretas, para opinar contra o parecer da Arquidiocese sobre o filme “Inútil Paisagem”, chegou a vez da “exegese” ou

Apresentação – A Ordem – Volume 97

Apresentação Luiz Paulo Horta Membro da Diretoria do Centro Dom Vital e Redator de A Ordem O novo número da revista A Ordem tem como seu centro de gravidade uma reflexão sobre Euclides da Cunha, cujo centenário de morte foi lembrado em 2009. Trata-se de um grande vulto da nacionalidade – e, mais que isso,

Um “no momento” perturbador

Robson de Oliveira Silva Membro do Centro Dom Vital A literatura registra alguns exemplos de locuções adverbiais perturbadoras. Na escatologia de C. S. Lewis, “A última batalha”, com pragmatismo político digno de um Richard Rorty, Ruivo e o Rishda Tarcaã combinam a utilidade temporária de Manhoso. Assim “no momento” em que as circunstâncias mudarem, o

Jornalismo Niilista: Os Abantesmas Teológicos de Arnaldo Bloch

Carlos Frederico Gurgel Calvet da Silveira Presidente do Centro Dom Vital   Retrocedemos. De terça-feira a hoje, retrocedemos. No Globo de hoje, sábado, Arnaldo Bloch em sua coluna assusta-se com fantasmas, abantesmas teológicos: Animismo, Obscurantismo, Sadismo, Fundamentalismo, Golpismo poderiam ser os seus nomes. São, contudo, figuras conhecidas da crítica superficial e de propaganda enganosa, sobretudo

Carnaval Carioca – A Complexa Biografia de Um Poema

Leandro Garcia Rodrigues[1] Diretor do Centro Dom Vital   RESUMO: Este ensaio tem o objetivo de apresentar dados e fatos para uma melhor compreensão do poema Carnaval Carioca, escrito por Mário de Andrade e publicado no seu livro Clã do Jabuti. Para tal análise, faremos uso de fragmentos epistolares de algumas cartas de Mário a

As Intrigas no Modernismo Brasileiro – Relatos Epistolares e Vida Literária

Leandro Garcia Rodrigues[1] Diretor do Centro Dom Vital Quando lemos sobre o Modernismo brasileiro nos manuais tradicionais de historiografia literária, temos a impressão de um certo pacifismo e um desejo mútuo de construção deste movimento artístico-literário. Estamos enganados. Percebemos que o movimento foi construído aos poucos entre as muitas divisões ideológicas, chegando mesmo na criação