Gulliver no Brasil

Precisamos vencer o déficit de diálogo Vivemos um tempo de refluxo, um deserto de utopias, cenário em que perdemos a capacidade de sonhar ou de propor uma forte revisão da Agenda Brasil, resultado de amplas zonas de consenso. A depender de certos debates, o Brasil encolheu a olhos vistos, movido por uma intolerância política e

Califado digital

Ninguém se iluda com a redução para os 16 anos Em nome de um país, que deveria ser mãe e não madrasta de seus próprios filhos, em nome de uma república moderna, que não rouba o futuro de meninos e meninas, sem escola e sem família, em nome dos avanços do Estatuto da Criança e

Cultura do ódio

Ninguém se iluda com a redução para os 16 anos Em nome de um país, que deveria ser mãe e não madrasta de seus próprios filhos, em nome de uma república moderna, que não rouba o futuro de meninos e meninas, sem escola e sem família, em nome dos avanços do Estatuto da Criança e

A FEB e os canabais

Memória da Segunda Guerra não pode terminar Há quase 70 anos terminava o flagelo da Segunda Guerra, com um número impensável de crimes contra a humanidade. Basta recorrer aos livros de Primo Levi ou de Imre Kertész para alcançar o horror dos campos de extermínio. Ouvi desde pequeno a história da guerra contada por meus

Saudação do Presidente na Cerimônia de Reinauguração da Sede

  Cerimônia de Reinauguração da Sede 13 de março de 2015 Saudação do Presidente ao Senhor Cardeal e ao público Eminentíssimo Sr. Cardeal, Dom Orani João Tempesta, Exmo. Srs. Bispos, Revmos. Abades, Revmo. Sr. Vigário Episcopal para as Comunicações, Revmos. Reitores de Seminários, Revmos. Sacerdotes, Religiosos e Seminaristas, Srs. Vice-Presidentes e Diretores do Centro Dom

A cidade curinga

O Rio vive, uma vez mais, um novo redesenho São Sebastião do Rio de Janeiro é uma das cidades mais inquietas e inabordáveis do mundo. Basta nomeá-la para que prontamente se dissolva e fuja por entre os dedos. Não é como tantas cidades, que vestem folgadamente o corpo de sua inteira jurisdição. A geografia carioca

Duas Solidões Contemporâneas

O cidadão de bem realmente precisa possuir fortaleza incomum para não relativizar os princípios éticos e para resistir às crises de consciência Há muitos modos de se estar só: apesar da onipresença tecnológica, que invade os leitos e os templos, as salas de cinema e as casas de saúde, o homem sente-se cada vez mais