CICLO DO DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO – Palestras das 18h às 19h30

Cartaz - Dialogo Inter-Religioso

22/02 (segunda) – “Islamismo: Religião e Paz” – Sami Armed Isbelle (Diretor do Departamento Educacional e de divulgação da Sociedade Beneficente Muçulmana do RJ (SBMRJ))
23/02 (terça) – “Candomblé: Religião e Paz” – Babalawo Ivanir do Santos (Conselheiro estratégico do Centro de Articulações das Populações Marginalizadas, Interlocutor da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa) e Babalorixá Márcio de Jagun (advogado, professor, consultor do PROEPER/UERJ e escritor)
25/02 (quinta) – “Judaísmo: Religião e Paz” – Rabino Dario Bialer e Professora Diane Kuperman (ambos da Associação Religiosa Israelita do RJ – ARI)
26/02 (sexta) – “Budismo: Religião e Paz” – Pedro Paulo da Silva Amaral (Membro do Conselho Consultivo da BSGI RJ) e Wallace Luiz Teixeira Moura (Vice Coordenador da BSGI RJ)
CICLO DO DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO – Oração pela Paz – 22/02 – 19h30:
10 min de oração para cada representação religiosa.
Chefe de Cerimônia: Carlos Frederico Gurgel Calvet da Silveira, Presidente do Centro Dom Vital                           Líder Católico: Dom Orani João Cardeal Tempesta – Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro                                                                                                                                                                                              Líder Judeu: Rabino Dario Bialer – Associação Religiosa Israelita do Rio de Janeiro – Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro
Líder Islâmico: Sheikh Adam Muhammad – Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro
Líder Budista: Pedro Paulo da Silva Amaral – Membro do Conselho Consultivo da BSGI RJ
Líder do Candomblé: Babalawo Ivanir do Santos – Conselheiro estratégico do Centro de Articulações das Populações Marginalizadas
Líder Batista: Rev. Daniel de Athayde – Pastor da Igreja Batista
Líder Presbiteriano: Rev. Alexandre Cabral – Pastor da Igreja Presbiteriana Unida (Botafogo)
Líder Anglicano: Rev. Daniel Rangel – Pastor da Igreja Anglicana
Líder da Igreja Cristã: Rev. Edson Fernando – Igreja Cristã de Ipanema
Não se trata de relativismo nem sincretismo, mas de uma postura aberta e dialogante, no pleno respeito às diferenças, na certeza do muito que podemos fazer para que as religiões não sejam instrumentalizadas para geração de conflitos. Sejamos promotores da paz, do amor e de tudo que edifica integralmente o ser humano.
“Hoje, que o gênero humano se torna cada vez mais unido, e aumentam as relações entre os vários povos, a Igreja considera mais atentamente qual a sua relação com as religiões não-cristãs. E, na sua função de fomentar a união e a caridade entre os homens e até entre os povos, considera primeiramente tudo aquilo que os homens têm de comum e os leva à convivência. Com efeito, os homens constituem todos uma só comunidade; todos têm a mesma origem, pois foi Deus quem fez habitar em toda a terra o inteiro gênero humano; têm também todos um só fim último, Deus, que a todos estende a sua providência, seus testemunhos de bondade e seus desígnios de salvação até que os eleitos se reúnam na cidade santa, iluminada pela glória de Deus e onde todos os povos caminharão na sua luz. Os homens esperam das diversas religiões resposta para os enigmas da condição humana, os quais, hoje como ontem, profundamente preocupam seus corações: Que é o homem? Qual o sentido e a finalidade da vida? Que é o pecado? Donde provém o sofrimento, e para que serve? Qual o caminho para alcançar a felicidade verdadeira? Que é a morte, o juízo e a retribuição depois da morte? Finalmente, que mistério último e inefável envolve a nossa existência, do qual vimos e para onde vamos?” (Nostra Aetate 1)
Quatro resumos enviados pelos palestrantes do Ciclo do Diálogo Inter-Religioso:
ISLAMISMO
Sami Armed Isbelle é formado em Administração de Empresas pela UFRJ. Cursou um ano da faculdade de “Jurisprudência Islâmica” na Universidade Islâmica de Madina, na Arábia Saudita. É escritor e autor de dois livros: “Islam, a sua crença e a sua prática” e “O Estado islâmico* e sua organização”, ambos pelo selo Azaan da editora Qualitymark.

Foi colunista do site do jornal Extra, onde escreveu no blog “Religião e Fé”, e comentarista da série “Sagrado” sobre diversidade religiosa, produzida em conjunto pela Rede Globo e pelo Canal Futura.
Atualmente ocupa o cargo de diretor do Departamento Educacional e de Divulgação da Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro (SBMRJ), representando o Islam em diversos encontros inter-religiosos, palestras e entrevistas acerca do Islam.

*Obs: O livro nada tem a ver com o atual grupo que se auto proclama dessa forma, mas sim, fala de como se estrutura um verdadeiro Estado Islâmico.

Resumo da palestra: “Islamismo: Religião e Paz”
Sami abordará os princípios do Islam e depois entrará no tema propriamente dito e falará da concepção da humanidade e sua responsabilidade, conceituará Jihad bem como a visão islâmica sobre o terrorismo.

CANDOMBLÉ
Babalawo, Profº.  Ivanir do Santos; Mestrando em História Comparada (UFRJ), membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros, do Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER-UFRJ) e Laboratório de Estudos de História Atlântica das sociedades coloniais pós coloniais (LEHA-UFRJ). Conselheiro estratégico do Centro de Articulações de Populações Marginalizadas (CEAP), Interlocutor da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa (CCIR), Conselheiro Consultivo do Cais do Valongo. Tem experiência nas seguintes áreas: Educação, Direitos Humanos e Cidadania; Relações Internacionais; Étnicos Raciais e Questões Africanas (religiões e experiências religiosas de matriz africana no Brasil).

Márcio de Jagun, Babalorixá, advogado, professor, consultor do PROEPER/UERJ, escritor e autor dos Livros: “Orí – A Cabeça como Divindade”; “Ewé – A Chave do Portal” e “Odù: os Yorùbá e o Destino.”

Resumo da palestra: “Candomblé: Religião e Paz”
– A “paz”, segundo a filosofia yorùbá;
– a “paz” em tempos de “guerra”;
– as divindades da “guerra” e da “paz”, no Panteão Yorùbá;
– a religiosidade enquanto caminho para a “paz”;
– a “paz”, enquanto construção interior, para mudança do mundo exterior.

JUDAÍSMO
Rabino Dario Bialer e Profa. Diane Kuperman, ambos da Associação Religiosa Israelita do Rio de Janeiro-ARI.

Resumo da palestra: “Judaísmo: Religião e Paz”
Na saudação “Shalom”, Paz, se resume a filosofia de vida de todo Judeu. O Judaísmo, origem das religiões monoteístas, sempre advogou paz e entendimento. Nas práticas judaicas não constam a exclusividade salvífica – qualquer ser humano de boa índole e de boas ações pode aspirar ao mundo vindouro, o olam abá -; nem as conversões forçadas; nem perseguições em nome da fé. Parceiros das iniciativas de diálogo inter-religioso bem antes da Declaração Nostra Aetate, rabinos e leigos judeus abraçaram toda demonstração de boa-vontade, convivendo com todas as religiões, inseridos nas sociedades em que viviam, contribuindo para o engrandecimento de suas pátrias de adoção. Na acepção do < em>Tikun Olam, a construção de um mundo melhor sem ódios nem preconceitos, os judeus são parceiros de Deus no aperfeiçoamento das relações dos seres humanos entre si, com os desvalidos, com a natureza e com o sagrado.

BUDISMO
Pedro Paulo da Silva Amaral – Membro do Conselho Consultivo da BSGI RJ e Wallace Luiz Teixeira Moura – Vice Coordenador da BSGI RJ.
Resumo da palestra: “Budismo: Religião e Paz”
O Budismo de modo geral e mais especificamente o Budismo de Nitiren Daishonin, um conceituado monge do século XIII, que adotou as teorias do Sutra de Lótus de Sakyamuni,  é uma filosofia que tem como espinha dorsal de seu ensinamento a construção de uma sociedade pacífica e harmoniosa onde todos, independente de suas crenças ou convicções possam juntos criar esse tão sonhado mundo.
A Soka Gakkai Internacional – que tem como base  a mesma filosofia de  Nitiren Daishonin – vem se empenhando através de seus associados e de seu presidente, Dr. Daisaku Ikeda, filósofo, escritor, poeta e pacifista em empreender esforços para a paz mundial em diversificadas atividades culturais tais como seminários, exposições, reuniões da filosofia budista em suas sedes e residência de associados.
A idéia central da filosofia da SGI é que dentro de cada ser humano existe um potencial positivo que, se estimulado, pode gerar ações benéficas para seu ambiente. Exemplificando melhor, no seu longo romance “A Revolução Humana” o Dr. Ikeda exalta o princípio de que “A Revolução Humana de uma única pessoa irá transformar sua família, sua sociedade, seu país e até o mundo inteiro”.
Nesse sentido, o Dr. Ikeda viajou pelo mundo expondo seus pensamentos e o conceito budista do Sutra do Lótus do imenso e magnífico potencial positivo que tem dentro de cada pessoa. Dialogou com personalidades e intelectuais de diversas partes do mundo, como o já falecido historiador inglês Arnold Toynbee, o professor e sociólogo Bryan Wilson, o falecido presidente da Academia Brasileira de Letras, Austregésilo de Athayde, o também já falecido e consagrado astrônomo brasileiro Ronaldo Rogério Mourão de Freitas entre outros grandes nomes de nossa sociedade internacional. Vale ressaltar, que esses diálogos foram todos registrados em forma de livros e estão à disposição de todos os leitores.
Enfim, queremos abordar na palestra este princípio do despertar do aspecto, do belo mundo positivo que reside no coração de cada ser humano e o quanto esse despertar poderá contribuir para um mundo melhor e cremos firmemente que o papel da religião é fundamental para o florescimento de um novo coração humano, ou de milhões e milhões de corações humanos. O grande papel, a grande missão da paz mundial é, sem dúvida, a ação da religião na vida das pessoas, conduzindo-as pela vida afora para um caminho correto.
cdv

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *