Anemia de absoluto

Robson Oliveira
Robson Oliveira

O início do século 21 descortina um problema maiúsculo, cuja caracterização desafia a capacidade analítica dos pensadores hodiernos. A despeito do que prometeu o Círculo de Viena (1929), o triunfo da ciência não trouxe os benefícios sociais e humanos prometidos. Pelo contrário, temas que deveriam estar há muito superados teimam em retornar numa sociedade que expurgou da vida pública as questões de fundamento. É o caso do fanatismo político-religioso, que mostrou mais uma vez seu rosto na semana passada, em Paris.

Por que jovens de classe média, muitas vezes bastante bem-educados, cuja vida não padece de qualquer tipo de carência material, aderem a seitas fundamentalistas? Por que matam e ameaçam de morte outras pessoas por motivos francamente injustos e violentos? O assunto é um verdadeiro atoleiro, com não poucas armadilhas, mas necessita ser enfrentado com coragem. E uma pista de desembaraço parece ser dada pelo professor Kurt Gauger.

Em seu livro Cidade-Demônio, de 1957, o psiquiatra alemão apresentou uma perturbadora carta de um jovem detento a seus pais. Descartados os adâmicos exageros do rapaz, que culpa outros pelas próprias escolhas, a carta traz alguma luz acerca do desafio do fanatismo também em nossos dias. Grosso modo, a carta acusa os pais do condenado e sua geração de não acreditar vigorosamente nos valores que professavam. Segundo a denúncia do jovem, bastava que crianças resistissem brevemente às determinações educativas de seus pais e mestres e o “não” transformava-se em “sim”, ou um “sim” sem convicção do diretor da escola tornava-se um “não”. E esse delinquente, de dentro de uma penitenciária, faz um diagnóstico que bem pode iluminar o problema do extremismo: os jovens são fortes no mal porque os seus pais e educadores são fracos no bem. Os jovens buscam nas seitas o que não encontram em seus lares: vidas coerentes, valores de carne e osso.

[…]

Leia mais no site de Gazeta do Povo

Leia outros texto de Robson Oliveira no Clipping do CDV

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associação de leigos católicos, dedicada, desde 1922, à difusão da fé e à evangelização da cultura no Brasil: revista A Ordem, palestras, cursos, etc.