Nise da Silveira

Lucchesi
Marco Lucchesi

Foi das pessoas mais corajosas que conheci

Nise da Silveira foi um dos maiores nomes da ciência no Brasil. Não só porque mudou a face obscura da psiquiatria, e com raro destemor, mas também porque jamais se deixou contaminar pelo vírus positivista que assola parte de nossa universidade. E como a doutora Nise ficou imune? Primeiro pela grande cultura e sensibilidade de sua formação, sem nunca perder o horizonte ético e humanista, que é o que falta a não poucos neurocientistas deslumbrados, ou aos sempre presentes behavioristas, inclusive com novos rótulos.

Nise foi mais longe, guiada por um instinto de alteridade como poucos, olhos de lince e majestosa intuição. Conhecia em profundidade Jung, Freud e Lacan. Mas não formava pelotão, nem se dobrava a dialetos estéreis e autocentrados. Foi das pessoas mais corajosas que conheci. Disse-me certa vez que Jung e Freud sabiam bem pouco do inconsciente, o que até hoje não deixa de me encantar pelo espírito raro de abertura[…].

Leia mais no site de O Globo

Leia outros texto de Marco Lucchesi no Clipping do CDV

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associação de leigos católicos, dedicada, desde 1922, à difusão da fé e à evangelização da cultura no Brasil: revista A Ordem, palestras, cursos, etc.